Opinião

É muito comum pensar-se em Abril como uma obra completa. A realidade no entanto não é tão simples, e espelha-se muito na forma como o ensino funciona no nosso país.

Serão quase nenhumas as saudades que viremos a ter do momento em que o Mundo, anunciado catástrofe, inesperadamente tombou.

Notícias

As propostas políticas do executivo camarário estão claramente aquém da crise da habitação que se vive na cidade do Porto. São necessárias políticas que combatam a especulação imobiliária e a utilização de fogos habitacionais como “ativo imobiliário” pelos privados, flagelo que se tem traduzido na expulsão de moradores das zonas mais centrais da cidade. São necessárias políticas que não reproduzam, dentro de 3 anos - tempo do programa apresentado pelo Executivo -, a segregação espacial dos últimos anos e novas dificuldades de acesso à habitação. São necessárias políticas que elevem a população da cidade, pelo que é imprescindível a construção de 1.000 novas casas, que reponham pelo menos o parque habitacional destruído.

De costas voltadas para a cidade, a decisão foi abrupta e autoritária. Em plena crise pandémica, de uma penada, o executivo de Rui Moreira apagou toda a discussão pública e todo o caminho percorrido para a existência de um regulamento do Alojamento Local (AL) na cidade.

*Artigo de Adriano Campos

Mapa Zonas de Contenção
Assembleia Municipal

Nunca o regulamento do Alojamento Local e a suspensão de novos registos poderiam, nesta altura, ficar sem efeito. Este mecanismo é um instrumento fundamental para a promoção de políticas públicas de habitação e de um modelo de recuperação económica mais equilibrado. A proposta de Rui Moreira – ainda que com o pretexto da crise pandémica – merece por isso a forte oposição do Bloco de Esquerda.
Com esta proposta de revogação, o Executivo de Rui Moreira submete-se perante os interesses do negócio imobiliário, em prejuízo do direito à habitação. A política de Rui Moreira é o negócio e entrega a cidade ao mercado. Essa não é a gestão de cidade que o Bloco de Esquerda defende.

Manifestação 1º de Maio de 2019 no Porto
Notícias

Comunicado da Concelhia do Bloco de Esquerda sobre o 1º de Maio:

"para o Bloco de Esquerda, num ano em que já se anuncia uma grave crise económica e dos direitos dos trabalhadores, faz ainda mais sentido reafirmar os direitos laborais".

Vídeos

No debate quinzenal com o primeiro-ministro, Catarina Martins começou por condenar a proposta “inqualificável” de André Ventura de “confinamento de pessoas de acordo com a sua etnia” e criticou as tentativas do deputado do Chega para calar o campeão português Ricardo Quaresma.

“Para garantir a saúde pública é preciso ter uma casa” Maria Manuel Rola condenou a decisão do governo de suspensão do alargamento dos prazos de caducidade dos contratos de arrendamento, em vez de apoiar os inquilinos no pagamento das rendas.

25 de Abril - Discurso do Bloco de Esquerda Gondomar - Bruno Pacheco